Atenção, o seu browser está desactualizado.
Para ter uma boa experiência de navegação recomendamos que utilize uma versão actualizada do Chrome, Firefox, Safari, Opera ou Internet Explorer.

1930

«A maior fábrica de rolhas do norte de Portugal» é um marco que passa a estar inscrito no cartão-de-visita da Amorim & Irmãos, Lda. que conta então com 150 operários.
Apesar da Grande Depressão Económica, a indústria da cortiça prolifera graças ao desenvolvimento de produtos e soluções inovadoras e de elevado valor acrescentado para o mercado. As aplicações da cortiça são generalizadas e os seus derivados passam a ser utilizados em revestimentos térmicos e acústicos, assim como em muitas outras áreas.
A Amorim & Irmãos, Lda. ultrapassa fronteiras geográficas e leva a cortiça a vários pontos do mundo, exportando para o Japão, Alemanha, Estados Unidos, França, Brasil, Inglaterra, Holanda, Bélgica e Suécia.

Ao longo desta década, a Amorim & Irmãos tornar-se-á na maior fábrica de rolhas do norte de Portugal, prosperando até hoje.

1922

Nasce a primeira empresa, a Amorim & Irmãos, Lda. é constituída oficialmente em 11 de março com um capital social de 90 mil escudos, tendo como sócios os filhos de António Alves Amorim e Ana Pinto Alves: José, Manuel, Henrique, Américo, Ana, Rosa, António, Joaquim e Bernardina.

A Amorim & Irmãos, Lda. deu origem ao universo de empresas que é hoje a Corticeira Amorim. Esta segunda geração Amorim imprimiu um novo dinamismo à atividade desenvolvida e tornou a empresa numa referência da indústria corticeira nacional.

1908

Família Amorim abre nova oficina em Santa Maria de Lamas, para alargar a produção. Nesta altura o comércio internacional está em crescente e assume relevância económica e social. A rolha de cortiça é vista cada vez mais um produto de luxo, obrigatório nos vinhos de elevada qualidade produzidos pelas melhores caves da época.

1870

A atividade da CORTICEIRA AMORIM inicia-se com a fundação de uma fábrica de produção manual de rolhas de cortiça, de António Alves de Amorim, no Cais de Vila Nova de Gaia.