Atenção, o seu browser está desactualizado.
Para ter uma boa experiência de navegação recomendamos que utilize uma versão actualizada do Chrome, Firefox, Safari, Opera ou Internet Explorer.

Como dar mais vida à cortiça

O conceito da reciclagem de rolhas de cortiça teve origem em Portugal, onde, em 2008, arrancou o projeto Green Cork, uma parceria da Corticeira Amorim com a principal associação ambiental nacional, a Quercus. Depois estendeu-se a outros países, como Espanha, França, Itália e Reino Unido, EUA e Canadá, África do Sul, Austrália e China.

Embora nunca mais seja incorporada em rolhas, a cortiça reciclada pode ter uma segunda vida e integrar revestimentos, isolamentos, memoboards, caiaques de alta competição, raquetes de badmínton, bolas de ténis e de críquete, componentes de automóveis e aviões, peças de design e de moda e uma multiplicidade de outros fins.

A reciclagem, além de aumentar a reutilização da matéria-prima, permite estender o ciclo de vida da cortiça e os seus benefícios ambientais, em particular a sua capacidade notável de retenção de CO2.

 

Campanha ROLHAS QUE DÃO FOLHAS 

 

A campanha tem como o objetivo de incentivar a reciclagem da cortiça e contribuir para a conservação da floresta portuguesa através da plantação de espécies autóctone.

Assim, a Missão Continente, em parceria com a Quercus e a Corticeira Amorim, vai distribuir pelos clientes das lojas Continente, a partir do dia 16 de setembro de 2019, um total de 500.000 "rolhinhas". Os "rolhinhas" são pequenos depósitos de rolhas que poderão ser levados para casa e onde as famílias podem ir juntando as suas rolhas de cortiça, até ao momento de as despejar nos recipientes próprios já existentes nas lojas Continente (junto ao balcão de serviço de apoio ao cliente).

Esta campanha enquadra-se no projeto Green Cork, que resulta de uma parceria que permitiu já a recolha de cerca de 84 milhões de rolhas e a plantação de mais de 828 mil árvores desde 2008.