Atenção, o seu browser está desactualizado.
Para ter uma boa experiência de navegação recomendamos que utilize uma versão actualizada do Chrome, Firefox, Safari, Opera ou Internet Explorer.

Amorim Cork Research, sob o desafio permanente da inovação

A cortiça é um material por natureza tão formidável que poderia parecer impossível melhorá-lo. Mas é precisamente isso que a Corticeira Amorim tem feito desde a sua fundação, apostando na diferenciação pela qualidade e contribuindo como nenhum outro player no setor para a reinvenção de um recurso natural excepcional, a cortiça.

A Investigação & Desenvolvimento e Inovação (I&D+I) é um pilar estratégico da liderança da Corticeira Amorim nos diversos segmentos da sua atividade.

Um investimento pioneiro em inovação traduziu-se em liderança: a Corticeira Amorim fornece, hoje, soluções de vanguarda, a partir de uma matéria-prima 100% sustentável, às indústrias mais exigentes do mundo.

Partindo das características naturais da cortiça e do seu enorme potencial, o desafio para a empresa é desenvolver novas aplicações, capazes de marcar a diferença e agregar valor. Abre-se assim, através da inovação, um campo de possibilidades ilimitado para a cortiça, materializado num portfólio sem paralelo no setor.

O que começou como um primeiro laboratório especializado na criação de novos produtos e processos (Labcork, criado em 1983), ganhou tal dimensão que a I&D+I envolve atualmente um investimento de 7.5 milhões de euros/ano, para além do investimento massivo em projetos autónomos de tecnologia de última geração e em processos de produção exclusivos.

Neste âmbito, a Amorim Cork Research é uma estrutura transversal decisiva e autónoma, totalmente focada no desenvolvimento de atividades de I&D. Paralelamente, todas Unidades de Negócios têm competências próprias de I&D+I.

É através da Amorim Cork Research que se desenvolvem alguns dos projetos mais audazes de investigação ligada à cortiça, de onde resultam novos conhecimentos que contribuem para o melhoramento e alargamento das aplicações da cortiça.

O compromisso com a I&D+I tem contribuído para o registo de novas patentes relacionadas com processos e produtos, sendo através da Amorim Cork Research que se definem as orientações da atividade nesta matéria e da defesa dos direitos de propriedade industrial desenvolvidos e detidos pela Corticeira Amorim.

I&D + INOVAÇÃO

Matérias-Primas: Onde tudo começa

Apesar de não ser detentora de floresta, a Corticeira Amorim aplica-se na descoberta, avaliação e implementação de melhores práticas relacionadas com o montado de sobro.

Com o objetivo de contribuir para a vitalidade da floresta de sobreiros e de assegurar a qualidade dos produtos dele derivados, a empresa tem em curso, desde 2013, um ambicioso Projeto de Intervenção Florestal (PIF). Financiado pela Corticeira Amorim e desenvolvido em parceria com produtores florestais, reputadas instituições académicas e científicas nacionais e internacionais e autoridades locais, o PIF tem como principal objetivo procurar respostas e soluções para os principais desafios que a floresta de sobreiros enfrenta.

Esta inciativa engloba diferentes áreas de atuação estratégicas que se organizam em quatro grandes vectores: desenvolvimento de sistemas de irrigação melhorados, sequenciação do genoma do sobreiro, melhoramento do sobreiro e combate a pragas e doenças.

Entre os projetos de investigação mais recentes desenvolvidos em parceria com o meio académico e florestal no âmbito do PIF, destaque para a micro-irrigação de sobreiros com o objetivo de assegurar maiores taxas de sucesso na plantação e de acelerar o crescimento inicial da árvore, reduzindo o tempo para o início da extração da cortiça.

Em 2017, a primeira plantação estruturada de 50 hectares de sobreiros foi apresentada no âmbito do Projeto de Intervenção Florestal, numa iniciativa que contou com o apoio científico da Universidade de Évora.

A par destes projetos colaborativos, a equipa interna de I&D da UN Matérias-primas continua focada na erradicação dos defeitos sensoriais da cortiça com resultados positivos e promissores, que dão boas indicações para o futuro.

Enquanto maior produtor e fornecedor de rolhas de cortiça a nível mundial, a Corticeira Amorim assume como importância primária a investigação e o melhoramento de processos que conduzam à erradicação de sabores desagradáveis associados à rolha de cortiça.

Há décadas que a empresa se dedica a investigar o desenvolvimento do TCA e a criar soluções para a sua eliminação. Em resultado, foi um dos primeiros players do setor a aplicar com êxito processos preventivos contra a contaminação da cortiça por este composto - partindo de uma melhor seleção e armazenamento das pranchas até ao investimento de milhões de euros em tecnologia de ponta, exclusiva e completamente inovadora.

Neste âmbito, a Corticeira Amorim é detentora de várias patentes de processos preventivos e curativos, de que são exemplos os sistemas de tratamento Convex, Rosa e Inos - em constante evolução - que vieram revolucionar os métodos de tratamento da cortiça.

Rolhas: paixão pelo vinho

A inovação de produto, a melhoria de qualidade das rolhas e o aumento do conhecimento da interação da rolha com o vinho têm centrado as atenções do departamento de I&D+I da UN Rolhas nas últimas décadas. A investigação e o desenvolvimento proporcionam uma melhor compreensão das propriedades da cortiça e da sua eficiência na vedação de vinhos. E geram mais inovação.

Entre os projetos mais recentes, desenvolvidos na última década, destacam-se o sistema Helix®, a primeira rolha que, mantendo o binómio cortiça/vidro, não requer a utilização de um saca-rolhas, e a revolucionária tecnologia de ponta de controlo de qualidade NDtech, que permite detectar os níveis de TCA de cada rolha, medindo partes por trilião em apenas alguns segundos.

A par do desenvolvimento de novos produtos e da aposta nas mais avançadas tecnologias para garantir a qualidade insuperável das suas rolhas, a Corticeira Amorim impulsiona a expansão do conhecimento da interação da rolha com o vinho através do departamento de I&D+I desta UN.

A investigação científica levada a cabo por este departamento, em parceria com reconhecidas instituições académicas e tecnológicas, permitiu desmontar alguns dos mitos mais fortemente enraizados sobre a relação entre a rolha e o vinho, nomeadamente a ideia de que a cortiça é “permeável” permitindo, por isso, que o vinho respire. Esta convicção, de base empírica, foi completamente rebatida graças à investigação. Após o engarrafamento, conclui-se, é o oxigénio contido na própria rolha de cortiça (e não o “ar” no exterior da garrafa) que circula e interage com o vinho, contribuindo para o seu amadurecimento. Na verdade, com a rolha de cortiça, a quantidade de oxigénio que penetra na garrafa, após dois anos, é residual.

Na UN Rolhas, o investimento em I&D+I cobre todas as etapas do processo de produção, dando origem a medidas preventivas, curativas e de controlo de qualidade únicas na indústria.

Por exemplo, todas as pranchas destinadas ao fabrico de rolhas são submetidas ao avançado processo de lavação CONVEX, que previne a contaminação cruzada e produz cortiça menos húmida e mais limpa, e consequentemente menos vulnerável a qualquer contaminação sensorial. Do mesmo modo, ROSA (Rate of Optimal Steam Application), um tratamento exclusivo e inovador, é um importante passo no tratamento do granulado de cortiça, eliminando vestígios de contaminação mediante a utilização de vapor controlado.

Paralelamente, a UN Rolhas foi precursora na utilização da cromatografia gasosa (GC- Gas Chromatography), um minucioso sistema de controlo de qualidade através do qual máquinas de alta precisão examinam as rolhas no plano molecular.

Graças aos avanços científicos e à inovação tecnológica, foi possível levar ainda mais longe este método de controlo de qualidade. Na sequência de um investimento de 12 milhões de euros em I&D ao longo de 6 anos, a Corticeira Amorim desenvolveu NDtech, a mais inovadora tecnologia de controlo de qualidade da indústria, que oferece a primeira rolha natural do mundo com garantia de TCA não detectável*. O nível de precisão necessário para satisfazer este padrão é impressionante, dado que 0,5 nanogramas/litro é o equivalente a encontrar uma gota de água em 800 piscinas olímpicas.

Desenvolvida através de uma parceria entre a Amorim e uma empresa de Cambridge, no Reino Unido, NDtech analisa individualmente a presença de TCA em cada rolha de vinho. Cada rolha é analisada em poucos segundos, pulverizando, assim, os anteriores tempos de análise das máquinas de cromatografia existentes, que requeriam até 14 minutos para cada lote de rolhas. A tecnologia de análise de elevada precisão consegue detectar qualquer rolha que contenha mais de 0,5 nanogramas de TCA por litro *(partes por trilião), e removê-la, automaticamente, da cadeia de fornecimento. Como resultado, todas as rolhas processadas com recurso à tecnologia NDtech têm garantia de TCA não detectável*, eliminando o risco de que uma rolha de cortiça natural contaminada chegue aos produtores de vinho e consumidores. 

* Teor de TCA libertável inferior ao limite de quantificação de 0,5 ng/L; análise efetuada de acordo com a norma ISO 20752.

Revestimentos: liderança em inovação

Para a Amorim Revestimentos, o significativo investimento em I&D tem resultado em novas soluções tecnológicas e num pioneirismo destacado em termos de desenvolvimento de coleções e visuais renovados.

O lançamento da linha Hydrocork®, o primeiro piso com cortiça à prova de água, marcou um ponto de viragem nos pavimentos de cortiça. Este pavimento revolucionário é o resultado de anos de investimento em I&D e inovação, e oferece uma solução diferenciada e com alto valor acrescentado. Todos os benefícios associados à cortiça estão presentes nesta solução que se distingue por ser resistente à água. A sua fina espessura (6mm) e fácil instalação, graças ao sistema de montagem Pressfit, contribuem, também, para o êxito de Hydrocork®.

Recentemente, a Amorim Revestimentos apresentou a também inovadora linha Wood Essence que, fruto de um investimento em tecnologia de impressão digital de última geração, permite a impressão de qualquer visual sobre uma superfície de cortiça, com uma resolução de 1000 dpi’s.

O resultado é uma coleção de 14 novos visuais de madeira, com um nível de realismo nunca antes alcançado e com cores que vão desde os tons naturais aos tons washed. Esta linha reforça o cariz sustentável destes pavimentos, uma vez que o visual é impresso diretamente sobre a cortiça e que dispensa a utilização de PVCs ou similares, mantendo a resistência e a sua utilização em espaços comerciais de tráfego moderado.

Na sequência do sucesso de Hydrocork junto do mercado, o foco da I&D na Amorim Revestimentos está neste momento direcionado para dar continuidade a esta aposta, desenvolvendo novas soluções de baixa espessura e à prova de água. Para tal, foi realizado um investimento numa nova linha de aglomeração, que permite reforçar significativamente a capacidade de produção, mas também explorar novos produtos e soluções, através da incorporação de outros materiais.

Aglomerados Compósitos: Reinventar a Cortiça

A investigação tecnológica e uma aposta permanente na inovação tornam a UN Aglomerados Compósitos num caso de sucesso quando se trata de reforçar as potencialidades da cortiça. Na verdade, esta UN propõe-se reinventar o mundo a partir de um material 100% reutilizável, com características irreplicáveis, e afirma-se como uma referência internacional na pesquisa, desenvolvimento e produção de novas soluções de compósitos de cortiça.

A paixão pela inovação está bem patente em projetos que partem da experimentação à volta da cortiça para encontrar aplicações no mundo real. Para o projeto Metamorphosis, uma investigação em torno das propriedades da cortiça realizada por alguns dos mais reputados designers e arquitectos do mundo, esta UN encontrou soluções que permitiram concretizar algumas das propostas mais visionárias, expandindo os limites deste material até níveis nunca antes imaginados.

Da estratégia de aliar a Investigação e Desenvolvimento a processos de engenharia altamente qualificados nascem novos produtos e novas aplicações para materiais compósitos à base de cortiça, muitos desenvolvidos à medida, preenchendo os requisitos e superando as expectativas das mais exigentes indústrias e mais reputadas instituições do mundo.

Entre os projetos mais emblemáticos realizados recentemente pelo departamento de I&D+I desta unidade, destacam-se o desenvolvimento de um novo compósito de cortiça para a missão IXV da Agência Espacial Europeia (ESA), o desenvolvimento de um novo material à base de cortiça para uma mega instalação na galeria Turbine Hall, na conceituada Tate Modern, em Londres, e o desenvolvimento de um revolucionário compósito que combina betão e cortiça, utilizado no Terminal de Cruzeiros de Lisboa, que alia o isolamento térmico e acústico da cortiça a uma estrutura consideravelmente mais leve.

A leveza está igualmente em destaque numa solução inovadora desenhada por esta UN para a indústria marítima. Ao desenvolver um novo compósito de cortiça para aplicação em decks de navios de cruzeiro fluviais, garantiu-se uma significativa redução de peso, a par de um excelente isolamento térmico e conforto para os passageiros, com evidentes benefícios para um transporte marítimo mais seguro e fiável e oceanos mais limpos.

Uma parte do esforço em I&D é aplicada no desafio de reforçar tecnologicamente as características naturais da cortiça, através da maximização da utilização de matérias-primas naturais e/ou com origem em biomassa. Também são desenvolvidas novas resinas e novas tecnologias de fabrico para esses produtos e soluções, completamente diferenciadores.

O setor da construção é um dos que mais tem beneficiado deste impulso inovador que procura soluções alternativas aos materiais sintéticos assegurando uma performance de topo.  Entre as novas soluções desenvolvidas por esta UN, destaque para Acousticork - uma gama de subpavimentos e soluções antivibráticas que traz o sossego da natureza para o coração da cidade, para o Corkwall - um revestimento ecológico que tira partido da elasticidade da cortiça com enormes potencialidades para a reabilitação de fachadas, juntando no mesmo produto as funções de isolamento e de acabamento final, e para a Expandacork, uma gama de juntas de expansão que usa as propriedades da cortiça para absorver as expansões e contrações dos edifícios de betão.

O desafio da inovação na UN Aglomerados Compósitos tem permitido desenvolver programas de cooperação com universidades, parcerias e projetos em consórcio.

Destaca-se, por exemplo, o projeto AEROFAST, no âmbito do qual esta UN criou um novo material para escudos térmicos de naves espaciais com o intuito de uma futura missão não tripulada a Marte.

O projeto foi liderado pela EADS/Astrium e envolvia exigentes requisitos em termos de proteção térmica da cortiça.

Coube à UN Aglomerados Compósitos estudar e desenvolver uma formulação melhorada de proteção térmica com base em cortiça mais inovador e resistente, tendo sido testadas novas resinas e aditivos, nomeadamente fibras, para melhorar o desempenho de resistência térmica. O êxito do projeto, que teve continuidade no projeto Ablamod é uma garantia da continuidade da utilização da cortiça nas missões espaciais do século XXI, como comprovam, aliás, os recentes êxitos no lançamento dos foguetões Delta IV, um dos mais avançados da Boeing, e Vega, o mais recente foguetão da ESA - Agência Espacial Europeia, ambos com materiais da Corticeira Amorim.

Nos transportes terrestres, também tem sido notório o trabalho em importantes projetos de inovação, de que são exemplos o novo metro de superfície Inspiro, da Siemens. No plano conceptual dos transportes do futuro, é de registar a intervenção em conceitos como os dos projetos IBUS, ISEAT e Life – este último vencedor do prémio internacional «Crystal Cabine Awards».

A aposta em I&D+I torna as soluções com cortiça cada vez mais abrangentes e surpreendentes. Por exemplo, no desporto, novos sistemas de enchimento com granulado de cortiça (infills) em campos de relva sintética contribuem para tornar a relva artificial mais idêntica à natural, aumentando o seu desempenho. O mesmo acontece em pranchas de surf (como a prancha de cortiça MBoard, especialmente desenhada para o surfista Garrett McNamara enfrentar as ondas gigantes da Nazaré) e outros desportos náuticos, onde as propriedades únicas da cortiça contribuem continuamente para superar os mais exigentes desafios.

Isolamentos: inovação em nome do ambiente

A Investigação e Desenvolvimento na UN Isolamentos tem conduzido a importantes avanços no plano da qualidade e das novas aplicações para o seu principal produto, o aglomerado de cortiça expandida – usado, por exemplo na construção dos pavilhões de Portugal em Hanôver e em Xangai. O trabalho de I&D+I tem por base o desafio da criação de produtos amigos do ambiente, produzidos industrialmente sem recurso a aditivos e com reduzido consumo energético.

Em resultado, o aglomerado de cortiça expandida foi recentemente reconhecido como um dos produtos mais inovadores para a construção sustentável, integrando o BuildingGreen Top-10 Product for 2013.

Quer no contexto dos projetos ecoeficientes, quer na construção tradicional, a aposta em I&D+I resulta em soluções diferenciadoras que abrem caminho à aplicação da cortiça em todos os tipos de projetos de construção. O aglomerado de cortiça expandida é hoje um produto com potencialidades que abrangem desde o apoio a alvenarias até ao isolamento térmico e acústico, do mais tradicional ao especializado – como o isolamento acústico a ruídos aéreos ou de percussão.

Das atividades de I&D desta Unidade de Negócios destaca-se a investigação com vista à evolução do produto MDFachada, desenvolvido como solução de acabamento de paredes exteriores. Esta solução permite usufruir de todas as características naturais do aglomerado de cortiça expandida, inclusive do seu aspeto natural à vista. A mais recente inovação em curso é a possibilidade de apresentação de várias opções de design neste produto, sendo expectável a sua declinação para formatos inovadores.

As atenções recentes têm estado centradas também em alguns dos projetos mais vanguardistas e mediáticos, como o uso do aglomerado de cortiça expandida no desenvolvimento das peças de mobiliário para o Serpentine Gallery Pavilion, de Herzog & de Meuron e Ai Weiwei.